Frases Momentâneas

"Algumas quedas servem para que nos levantemos mais felizes" William Shakespeare

domingo, 3 de maio de 2009

Quem conta um Conto...

Quando ao acordar, abro os olhos e vejo o dia, lembro-me de ti em pleno acordar, a olhares para mim, com esses teus belos olhos azuis a convidarem-me desejadamente a permanecer alojada nos teus braços.
Mas, quando de repente olho para o lado, reparo na tua ausência e comprovo que já não estás comigo. Que os teus olhos eternamente se fecharam e que somente restou a tua imagem, na minha memória e no meu coração.
Culpo-me por não poder olhar-te nos olhos mais uma vez e dizer que te AMO, que sempre te amei e amarei e que jamais te esquecerei, mas mais uma vez percebo que, infelizmente já é tarde e que jamais terás a oportunidade de regressar.
Permaneces eterno no meu pensamento, permanecerás jovem como quando nos conhecemos, simplesmente permanecerás sempre igual, perante o avanço ou retrocesso dos anos. Para onde olho vejo a tua imagem, sinto o teu cheiro e a tua presença em todo o lado, como se jamais tivesses partido.
Viro-me e enrosco-me no lado da cama onde costumavas dormir. Por incrível que possa parecer ainda sinto o teu cheiro na almofada, como se se tivesse enraizado para eu poder recordar te sempre que desejo. Como é possível nunca ter reparado em como somos simples marionetas do destino e em como uma corda ironicamente se pode partir, permitindo-nos partir para a eternidade, sem um adeus, sem um beijo de despedida, sem um simples olhar…
Uma lágrima cai pela minha face e penso em como fui demasiadamente egoísta e como sempre pensei somente em mim… Sabias que te amava mais que tudo na vida, mas nunca te disse como devia ter dito em cada segundo que passamos juntos. Oh, arrependo-me perdidamente. Amo-te, Amo-te, Amo-te... Será que me ouves?
Ouço a nossa filha gritar: “ Mãe onde estão os meus jeans?”
A vida continua sem a tua presença física, mas apesar de tudo sei que nunca me abandonaste e que permaneces em cada objecto que tocaste, em cada fotografia que tiraste e em cada pessoa que deixaste fazer parte da tua vida, em cada pessoa que amaste e que te amou.
Permaneces vivo na minha memória, no meu pensamento e no meu coração até ao dia em que mais uma corda se partir e o meu boneco cair na longa escuridão que é a morte… E só aí, poderei recuperar o meu sorriso e permanecer eternamente feliz contigo.
A teu lado… Eternamente… AMO-TE!


(Sublinho desde já que este texto é um conto e que por isso mesmo se trata de pura ficção, não sendo, nem retratando nada da minha vida. Pura imaginação e invenção. Agora quem sabe se este meu conto terá ou não uma continuação... )

13 comentários:

ML disse...

Ufa, ainda bem que foi um conto. Mas podia ter sido perfeitamente real. Fico à espera da continuação ;)

Sara disse...

Lindo, lindo lindo...Espero que não pares por aqui!Quero uma continuação!

Os meus parabéns!

Anónimo disse...

Pode ser simplesmente um texto, mas retrata a vida de muitas pessoas, quando o nosso mais que tudo desaparece. Life goes on...

Niki disse...

Obrigada Sara :) quem sabe se não terei já uma continuação.. =P continua a visitar ;) beijinhos

najla disse...

Um conto demasiado real para muitas de nós!

Niki disse...

Sim najla, infelizmente... :(

Talita Guimarães disse...

Olá Niki,

belíssima narração! As palavras de teu conto podem não terem sido vividas por teu coração, mas expressam toda a verdade que há por trás da dor de quem perde e tem que continuar.

Garanto a você que o sentimento é exatamente esse. Estou passando por isso agora, pois perdi minha avó no último dia 30. E o que é mais incrível é o modo como nossa consciência se mantém firme em compreender a morte, mas nosso coração se despedaça de modo doloroso e desigual. Só o tempo e a certeza da eternidade para nos aliviar essa lacuna sem precedente.

Parabéns pelo blog, e espero que a continuação (se houver) reflita sobre as ações de quem fica em memória de quem foi. O que nos dará o merecimento de reencontrá-los na eternidade... nossa única esperança.

Abraços,

Talita Guimarães
Foca (brasileira) do Ensaios em Foco
http://www.ensaiosemfoco.blogspot.com

Mizé disse...

olá...fizeste o conto para a cadeira de escrita criativa?

Em finais de 2006 tb entreguei o meu e noto algumas semelhanças. Na minha história o protagonista ñ percebe as coisas que se estão a passar à sua volta..só percebe no fim o que lhe aconteceu, quando vê todos os que mais ama no seu próprio funeral. Mas, ao pensar que está só acaba por conhecer o pai, que em vida nunca conhecera.

lol...enfim, fala das perdas, de como perdemos todos os dias alguma coisa, mtas vezes porque nao damos valor e aceitamos td como um dado adquirido!!!

parabéns pelo blog!

Niki disse...

Ola' Talita :) obrigada pelas palavras... e por teres visitado o meu blog.
Infelizmente tambe'm perdi a minha a avo', de quem gostava bastante, em outubro passado e custou me imenso...revejo me nas tuas palavras mesmo. Tenho inclusivamente um texto neste blog onde faco referencia ao que senti quando ela partiu... Apesar de a morte ser uma verdade absoluta, perder algue'm de quem gostamos mto, e' extremamente dificil.
Mas a vida continua ne'? beijinhos e volta sempre*

Niki disse...

Ola' Mize' :)
nao, nao tenho escrita criativa, mas arrependo me de nao me ter inscrito este ano. Parece ser uma boa histo'ria e e' mesmo verdade quando dizes que por vezes tomamos as pessoas como certas e nao lhes damos o devido valor. So' quando as perdemos e' que percebemos realmente o valor que elas tinham na nossa vida. :/

Bigada e volta sempre :)

Niki disse...

P.S. Teclado americano, uma m**** lol ;)

Órfao T. disse...

É quando as pessoas partem que damos valor a elas. Quando sabemos k nunca mais ouviremos a sua voz, quando o cheiro pc a pc desaparece. A memória não é um disco rigido fantastico como dos pcs. Apesar de bloquear várias xs, esta engana e com o tempo as memórias vao ficando tenues. Nem tudo o que é bom permanece nem tudo o que é mau se esquece.

Jessica disse...

Agora percebi que o conto tem inicio aqui. Fogo, estou impressionada com a sua forma de escrever, com clareza, simplicidade e doce. Mais uma x parabéns! Acho que vou dar uma vista de olhos ao blog inteiro. ;)